quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

QUEIME DEPOIS DE LER (a crítica do jornal da minha cidade...)


Sexta-feira passada, o Jornal de Embrulhar Peixe da Minha Cidade publicou uma crítica histericamente negativa sobre o filme "Queime Depois de Ler". Nem quis ler aquele lixo até o final, mas deu pra ver que o "gênio malandrão" que assinou tamanha estupidez não gostou do filme porque o mesmo não é parecido com outros dos irmãos Cohen ( aí, tô cansado desse termo... ). Ele deve ter como referência filmes como "Barton Fink" ou "Onde os Fracos Não Tem Vez", em tese, produções supostamente mais "sérias" do que essa.

O que esse excelente mentecapto não se atentou é que "Queime Depois de Ler" é um filme mais difícil de se conceber do que várias produções ditas sérias. Por que? Porque é uma comédia das mais equilibradas, inteligente, com estilo e, obviamente, é engraçada. Pra mim, uma comédia bem feita é mil vezes mais séria do que qualquer drama. Realmente "Queime..." não é um filme cifrado - coisa que faz muitos críticos retardados acharem que isso é pré-requisito para ser bom - mas, de maneira nenhuma, é um filme menor desses Cohen. Pelo contrário, os dois esquisitões sempre levaram a sério fazer comédias: “Arizona Nunca Mais”, “Irmão, Onde Está Você?”, o remake de "Matadores de Velhinhas" e encontramos esse estilo também em vários momentos de “O Grande Lebowski” e até “Fargo”. Ou seja, os dois levam comédia á sério e sabem muito bem que é difícil de fazer e que tem um poder de comunicação e de retenção enormes.

O Zé Ruela que assinou esse pastiche, entre outras, falou a seguinte merda: "Brad Pitt em cenas constrangedoras". Esse animal não sabe, mas talvez a melhor coisa de "Queime Depois de Ler" é atuação de Pitt. De novo: É UMA COMÉDIA!!! Então Brad Pitt faz um personal trainner burrão em uma interpretação caricata e engraçada, o que para um ator como ele, é uma boa chance para mostrar versatilidade pois devem lhe oferecer direto papéis de galã, mocinho, etc. para o cara . Mas o jumento do Jornal de Secar Chão de Cozinha da Minha Cidade achou que era constrangedor. Constrangedor mesmo, pra mim, é uma burrice dessa envergadura.


É raro produzirem uma comédia meio de humor negro e com algumas cenas não usuais como essa. O ritmo é bom pois o roteiro é extremamente afiado. A fotografia passa o clima de frieza e mal entendido da história e elenco é foda: John Malkovich, George Clooney, Francis McDormand, Richard Jenkins, todos em ótimas interpretações, mostrando que entenderam bem a proposta dos diretores (ao contrário do tal crítico...). E há também o “ícone” David Rasche fazendo um assessor da CIA. Rasche fazia a excepcional série de “comédia de macho” “Sledge Hammer” na tv e que no Brasil ganhou o "ótimo' nome de "Na Mira do Tira". Sabe “Friends”? Pois é. É exatamente o oposto! Quem gosta de humor de verdade, idolatra essa série! O tal crítico aí ia odiar, com certeza...


Há um pensamento provinciano aqui no Brasil que um filme como esse não pode ser bom porque é uma comédia e esse tipo de filme são filmes simples. Bom mesmo é "Réquiem Para um Sonho" e outros roteiros meia-boca como esse. Mas como são filmes "sérios" (eu diria levianos..), aí eles prestam. Assim a crítica aqui desce o pau em filmes como esse dos Cohen. Que merda...


O slogan de "Queime Depois de Ler" é "Inteligência é Relativa" em duplo sentido para serviço de informações e QI mesmo. Depois de ler a "crítica" do Jornal de Forrar Chão de Carro da Minha Cidade isso fica bem claro.


Vá ver "Queime Depois de Ler" sem medo. É um filme bom, engraçado e incomum. E queime ANTES de ler o Jornal Co...bertor de Mendigo da Minha Cidade!



Movie-Goer é assim mesmo... tem que lidar até com a merda da crítica...

PS - Veja trechos da ótima atuação de Brad Pitt e seu cabelo anos 80 aqui, ó:
http://www.youtube.com/watch?v=oYjOYpN0Pew&feature=related